Diretores de escolas tradicionais acusam o esvaziamento do desfile cívico-escolar

A falta de incentivo da família, das autoridades e até mesmo de algumas instituições escolares tem sido um dos motivos para que os alunos não tenham vontade de participar da Semana da Pátria. Alguns alunos desconhecem a importância do dia 7 de Setembro que foi a independência do nosso país e outros não conhecem nem mesmo a letra do Hino Nacional. Estamos na falência do patriotismo. O civismo ficou em outras décadas. As escolas tradicionais iguaçuanas de uns anos para cá vem comemorando o dia 7 de Setembro na própria instituição, isto porque os próprios governantes da cidade não incentivam e não se preocupam em organizar e participar deste dia solene junto com o povo, os estudantes e as instituições. O patriotismo passou a ser um sentimento em extinção.

A maioria dos brasileiros só valoriza a bandeira nacional e suas cores na época da Copa do Mundo. Nossa bandeira é considerada uma das belas do mundo, mas só é observada pelos estudantes na época de comemoração como o dia 7 de Setembro e o dia da Bandeira 19 de abril. Para entender este antipatriotismo, o CL resolveu entrevistar os diretores de escolas tradicionais de Nova Iguaçu, Paulo de Tarso M.de Barros diretor executivo do Colégio Leopoldo e ex-secretario de Educação de Nova Iguaçu, e Edilton da Silva de Almeida diretor do Instituto Iguaçuano de Ensino. Por que está acontecendo o esvaziamento da celebração cívico-escolar de um modo geral?.  “Falta motivação para que você vá aplaudir os governantes. Qual motivação que a população tem com os governos? Nenhuma. Quem disse que a comemoração é militar? E que temos que fazê-la marchando como se militares fôssemos. Eu entendo que todos os segmentos organizados da sociedade devem estar presentes nessa comemoração. Não só escolas e unidades militares. Exemplo: APAEs, igrejas protestantes, comunidades eclesiais, diversas associações de moradores,grupos de dança folclóricas, entidades carnavalescas  que mantém viva nossa história. Com protesto ou não, todos devem estar presente nas comemorações da pátria. Temos que estar prontos para palmas e vaias. Será que estamos? Aonde estavam os ditos protestadores no dia 7 de Setembro? Curtindo o fim de semana prolongado, daí a sua ausência. É preciso motivar a nossa população a participar da vida pública. Não podemos deixá-la ao sabor das cobranças do Ministério Público e Judiciário, até porque ‘Todo poder emana do povo’, artigo 1º, parágrafo único da Constituição da República Federativa do Brasil.”,comentou Paulinho Leopoldo. Um desestímulo total na semana da pátria tomou conta da nação brasileira. “A falta de incentivo das autoridades e dos dirigentes é um dos fatores que vem desestimulando o desfile cívico escolar. Todos participavam empolgados, hoje não está assim. Todo ano no dia 7 de Setembro comemoramos a Semana da Pátria. Porém internamente com os alunos, professores e funcionários. Fazemos a entrada da bandeira com a guarda de honra. Outra coisa, os alunos é que nos procuram para participar do evento. Isto acontece com o incentivo do professor em sala de aula. A família tem colaborar. Falta orientação das autoridades e dirigentes.  A falta de civismo e patriotismo é o que tem acontecido em nosso país pela falta de iniciativa dos nossos dirigentes. A maioria dos brasileiros não vibra e nem sabe a letra do Hino Nacional. Para que isso não aconteça na escola, nossos alunos cantam o Hino Nacional uma vez por semana. Temos que fazer a nossa parte independente da realidade. Temos que passar para os jovens a fé, a esperança e o amor para os dias que virão”, concluiu Edilton da Silva de Almeida,diretor do Instituto Iguaçuano de Ensino.

 

 

Polícia Militar vem combatendo o tráfico de drogas

A polícia militar apreendeu no dia 8 de julho, na Rua Floresta Miranda, bairro do K11, Nova Iguaçu três elementos que portavam 260 sacolés de cocaínas, 45 pedras de crack, 215 sacolés de maconha. Os elementos foram conduzidos a DP e foram autuados no art.33 da Lei 11343/06 permanecendo presos.

Granada é encontrada no bairro do Paiol

Policiais encontraram na manhã do dia 8 de julho, uma granada na Rua Capitão Alfredo Antunes, bairro do Paiol, Nilópolis. Uma guarnição esteve no local e observou que a granada estava com pino e alça. Devido ao grande fluxo de pessoas que passavam por ali, para a segurança das pessoas a granada foi encaminhada ao 57º DP onde foi apreendido.

Segurança para Nova Iguaçu

O 20º Batalhão da Polícia Militar de Mesquita está fazendo um trabalho de qualidade na segurança dos bairros de Nova Iguaçu, Mesquita e Nilópolis. O Tenente Coronel Dantas tem atuado com a sua equipe de policiais na segurança da população. Vem ocorrendo repreensão de bailes funk irregulares no interior de comunidades, a exemplo Buraco do Boi.

Repórteres exercem dupla função

O Sindicato dos Jornalistas do Município e o Sindicato dos Radialistas do Estado neste mês de maio informou ao Ministério do Trabalho sobre o acúmulo de função de repórteres cinematográficos, que são pressionados a trabalhar como auxiliares de câmera, conforme denúncia da Comissão de Empregados. A Associação de Comunicação Educativa Roquete Pinto (Acerp) – fornecedora de conteúdo para a TV Brasil – e a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) serão convocadas para mesa redonda na Delegacia Regional do Trabalho. Esta é a segunda vez que a Acerp é denunciada ao Ministério do Trabalho pelo Sindicato dos Jornalistas em menos de dois anos.

Direitos da Mulher completa um ano

Nilópolis comemorou no dia 27 de agosto com as superintendências municipais dos Direitos da Mulher e da Promoção de Igualdade Racial, o aniversário de um ano da Posse do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher e a entrega de certificados do curso Negras Criativas.

Palestra sobre deficiente visual no MAB de Nova Iguaçu

No dia 27 de setembro às 14hs, o MAB estará realizando uma reunião para pessoas com deficiência visual. O palestrante é Alexandre do Sindicato de Deficiente Visual do Rio de Janeiro.

Quem está online
Nós temos 9 visitantes online
Contador de Acessos
Visualizações de Conteúdo : 83293
Clima Tempo

Empresas de rádio e TV recusam negociar salário digno para jornalistas

Os representantes das empresas de rádio e TV não apresentaram nenhuma solução na última rodada da campanha salarial, realizada na sexta-feira (06/06). Foram mantidas as cláusulas da proposta anterior,consideradas insuficientes pela categoria,que rejeitou em assembléia.