Papel da mulher na sociedade acende a discussão por ocasião do Dia das Mães

Um dia que deveria ser especial para elas: mães, mulheres, guerreiras, amigas, companheiras, que vão e vem do trabalho tentando fazer o melhor para educar e estruturar a base familiar. Para algumas este dia é destacado para comemorar com a família e amigos, porém para outras é um dia triste porque a violência familiar está presente em seu dia a dia. A violência moral tem sido um dos fatores que vem agredindo a mulher como insultos e xingamentos. Entretanto, a violência física continua crescendo em nossa sociedade que ao invés de ajudar as mulheres a buscar um novo caminho as criticam e massacram com palavras e preconceito. A reportagem do CL entrevistou algumas mães com a seguinte pergunta: Como comemorar o Dia das Mães com tanta violência com as mulheres? “Neste aspecto, em relação à violência com as mulheres não há o que comemorar.

Marido agredindo mulheres, namorado matando namorada, filhos agredindo as mães não só fisicamente, mas também com palavras e também agridem com omissão. Temos que comemorar o Dia das Mães todos os dias dando-lhes atenção,carinho e amor. O valor tem que ser o ano todo. Eu tenho uma filha de 21 anos,sou pai e mãe. Nós, mães estamos sempre tentando fazer o melhor para os nossos filhos. Sabemos que toda a base familiar começa com amor, atenção e carinho. Os filhos deveriam valorizar suas mães enquanto elas estão presente”, disse Ionilda da Conceição Bitencourt,estudante de Letras, do 7º período da UNOPAR, Nova Iguaçu. Para algumas mulheres a violência não é somente física, mas principalmente moral. “Na verdade isto é um fator muito especifico e bem direcionado. Eu nunca sofri nenhum tipo de violência como algumas sofrem. Porém, algumas mulheres são violentadas sexualmente, verbalmente e socialmente. A sociedade exclui a mãe solteira e separada. As mulheres continuam sofrendo preconceito. Nós, mulheres ficamos comovidas com a situação da outra. Nós nos solidarizamos com a dor da outra: ‘enquanto uma casa se comemora, a outra chora’.Eu quero dizer que enquanto muitas mães se alegram outras estão sofrendo e magoadas com a violência que aflige em seu lar. Muitas vezes o filho não reconhece o carinho, o amor e o cuidado que a mãe tem por ele. Mãe não é só aquela que pare,mas aquela que cria, a chamada mãe de coração. Desejo que o amor sempre reine em todos os lares. Este é um dia especial. E que nós mães possamos superar todos os obstáculos e sempre com amor. Eu me sinto feliz em ser mãe. Meu filho tem 14 anos, é o meu presente”, falou Patrícia Amaral, professora de educação física da academia Curves, Nova Iguaçu. Ser mãe nesta sociedade ainda continua sendo um desafio. “Costuma-se usar aquela frase desde que a minha vó dizia: ser mãe é padecer no paraíso. Eu acho que nos tempos de hoje é também se alegrar no inferno que nós vivemos hoje em termos de segurança,em termos de drogas em termos de muitas coisas que surgiram de um tempo pra cá. Antigamente não se tinha dessa forma totalmente desregulada como encontra-se hoje. Acho que a gente pode considerar o seguinte:eu sou mãe e tenho mãe, então eu posso comparar o que a minha mãe, mesmo tendo preocupação comigo, é a que eu tenho com o meu filho de hoje. A gente vive no purgatório, entre as alegrias e as preocupações desse tempo difícil que nós estamos passando. Nós trazemos ainda aquele instinto maternal eterno, aquela coisa doce e boa, aquele a sexto sentido. Isso cabe para mãe, mas também é uma coisa da mulher, da intuição. Mas ao mesmo tempo somos um pouco desencantada pelas preocupações,pelas saídas que os nossos filhos dão e nós não sabermos, não só por eles, mas pelo mundo do jeito que está. Como eles vão chegar e se irão chegar. O crime está solto, está direto tanto à noite quanto de dia. A preocupação é diária pela violência que se encontra o mundo, principalmente no Rio de Janeiro. Outra coisa é que eu acho a diferença também que existe é quando umas tem um companheiro ou um marido e outras que não tem. Em meio essa problemática toda as mulheres, as mães principalmente, já que o assunto é dia das Mães, tem que desenvolver um super poder para dar conta de tantas tarefas diferentes porque nós somos trabalhadoras, nós temos que colocar comida dentro de casa, nós temos que arcar com despesa de uma casa, de um filho que o desemprego que hoje nos afeta demais. Já que os jovens de hoje não conseguem emprego pra que de repente as coisas sejam melhores. Então, nós somos multifacetadas e multifuncionais. Nós temos que ter mil funções,mil caras para poder dar conta de tudo isso.”, concluiu Nágila Almawy, advogada.

 

 

Polícia Militar vem combatendo o tráfico de drogas

A polícia militar apreendeu no dia 8 de julho, na Rua Floresta Miranda, bairro do K11, Nova Iguaçu três elementos que portavam 260 sacolés de cocaínas, 45 pedras de crack, 215 sacolés de maconha. Os elementos foram conduzidos a DP e foram autuados no art.33 da Lei 11343/06 permanecendo presos.

Granada é encontrada no bairro do Paiol

Policiais encontraram na manhã do dia 8 de julho, uma granada na Rua Capitão Alfredo Antunes, bairro do Paiol, Nilópolis. Uma guarnição esteve no local e observou que a granada estava com pino e alça. Devido ao grande fluxo de pessoas que passavam por ali, para a segurança das pessoas a granada foi encaminhada ao 57º DP onde foi apreendido.

Segurança para Nova Iguaçu

O 20º Batalhão da Polícia Militar de Mesquita está fazendo um trabalho de qualidade na segurança dos bairros de Nova Iguaçu, Mesquita e Nilópolis. O Tenente Coronel Dantas tem atuado com a sua equipe de policiais na segurança da população. Vem ocorrendo repreensão de bailes funk irregulares no interior de comunidades, a exemplo Buraco do Boi.

Repórteres exercem dupla função

O Sindicato dos Jornalistas do Município e o Sindicato dos Radialistas do Estado neste mês de maio informou ao Ministério do Trabalho sobre o acúmulo de função de repórteres cinematográficos, que são pressionados a trabalhar como auxiliares de câmera, conforme denúncia da Comissão de Empregados. A Associação de Comunicação Educativa Roquete Pinto (Acerp) – fornecedora de conteúdo para a TV Brasil – e a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) serão convocadas para mesa redonda na Delegacia Regional do Trabalho. Esta é a segunda vez que a Acerp é denunciada ao Ministério do Trabalho pelo Sindicato dos Jornalistas em menos de dois anos.

Direitos da Mulher completa um ano

Nilópolis comemorou no dia 27 de agosto com as superintendências municipais dos Direitos da Mulher e da Promoção de Igualdade Racial, o aniversário de um ano da Posse do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher e a entrega de certificados do curso Negras Criativas.

Palestra sobre deficiente visual no MAB de Nova Iguaçu

No dia 27 de setembro às 14hs, o MAB estará realizando uma reunião para pessoas com deficiência visual. O palestrante é Alexandre do Sindicato de Deficiente Visual do Rio de Janeiro.

Quem está online
Nós temos 58 visitantes online
Contador de Acessos
Visualizações de Conteúdo : 83387
Clima Tempo

Empresas de rádio e TV recusam negociar salário digno para jornalistas

Os representantes das empresas de rádio e TV não apresentaram nenhuma solução na última rodada da campanha salarial, realizada na sexta-feira (06/06). Foram mantidas as cláusulas da proposta anterior,consideradas insuficientes pela categoria,que rejeitou em assembléia.