Posse de armas tem que se submeter ao poder do Estado de garantir proteção à sociedade

Violência, preocupação e insegurança. O sentimento do medo tomou conta dos brasileiros. Como fazer para andar nas ruas com tranqüilidade e não ser assaltado? Armar ou desarmar a população? A falta de segurança pública tem atingindo todo país. Os assaltos são constantes e a nação não suporta mais tanto descaso e violência. A sociedade brasileira grita por socorro! A tranqüilidade vive distante das famílias. Estamos vivendo um momento em que todos querem ter segurança e se defender da mesma causa: a violência! Segundo o presidente da República Jair Bolsonaro, nas eleições prometeu o direito à posse de arma. Para cumprir com a palavra no dia 15 de janeiro, ele assinou o decreto que trata apenas da posse de armas.  Esse tema tem sido polêmico entre os brasileiros. Por isso a reportagem do CL resolveu entrevistar o advogado Marcos Venício de Andrade com a seguinte pergunta: Qual a sua visão do porte de arma para os brasileiros que querem adquirir? “O desarmamento não aconteceu apenas, mas serviu a determinado segmento que já estavam instalados no país em prol do crime organizado e por outro sentido também retirou do cidadão a defesa do seu maior patrimônio que é a ‘vida’. A partir daí a sociedade do bem praticamente ficou desarmada. Enquanto determinados momentos existentes no país estavam constantemente na mídia invadindo propriedades privadas, por vezes com alguns membros de armas nas mãos. É bom lembrar que não é preciso melhores detalhes. O que implicou o desarmamento nos perímetros urbanos envolvendo furtos e roubos de veículos de propriedades comerciais e residenciais em evidente demonstração de que os criminosos tenham pleno conhecimento e que não sofrera qualquer ato contrário vez que o império do crime estava protegido pela Lei do Desarmamento. Acredito que permitir ao cidadão do bem por hora a defesa da sua família e de sua residência, notadamente bens materiais com o tempo e equilíbrio será restabelecido em prol da harmonia de viver melhor”,disse Marcos Venício. Segundo ele, é bom lembrar que não basta o Estado permitir que a sociedade esteja armada, pois é fundamental que as imposições constitucionais permaneçam integras no que concerne ao Estado à obrigação de proteção da sociedade. “É importante frisar que o principio da permissibilidade de ter uma arma em casa impõe antecedentes e requisitos em Lei”.,concluiu o advogado Marcos Venício Andrade.

 

Polícia Militar vem combatendo o tráfico de drogas

A polícia militar apreendeu no dia 8 de julho, na Rua Floresta Miranda, bairro do K11, Nova Iguaçu três elementos que portavam 260 sacolés de cocaínas, 45 pedras de crack, 215 sacolés de maconha. Os elementos foram conduzidos a DP e foram autuados no art.33 da Lei 11343/06 permanecendo presos.

Granada é encontrada no bairro do Paiol

Policiais encontraram na manhã do dia 8 de julho, uma granada na Rua Capitão Alfredo Antunes, bairro do Paiol, Nilópolis. Uma guarnição esteve no local e observou que a granada estava com pino e alça. Devido ao grande fluxo de pessoas que passavam por ali, para a segurança das pessoas a granada foi encaminhada ao 57º DP onde foi apreendido.

Segurança para Nova Iguaçu

O 20º Batalhão da Polícia Militar de Mesquita está fazendo um trabalho de qualidade na segurança dos bairros de Nova Iguaçu, Mesquita e Nilópolis. O Tenente Coronel Dantas tem atuado com a sua equipe de policiais na segurança da população. Vem ocorrendo repreensão de bailes funk irregulares no interior de comunidades, a exemplo Buraco do Boi.

Repórteres exercem dupla função

O Sindicato dos Jornalistas do Município e o Sindicato dos Radialistas do Estado neste mês de maio informou ao Ministério do Trabalho sobre o acúmulo de função de repórteres cinematográficos, que são pressionados a trabalhar como auxiliares de câmera, conforme denúncia da Comissão de Empregados. A Associação de Comunicação Educativa Roquete Pinto (Acerp) – fornecedora de conteúdo para a TV Brasil – e a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) serão convocadas para mesa redonda na Delegacia Regional do Trabalho. Esta é a segunda vez que a Acerp é denunciada ao Ministério do Trabalho pelo Sindicato dos Jornalistas em menos de dois anos.

Direitos da Mulher completa um ano

Nilópolis comemorou no dia 27 de agosto com as superintendências municipais dos Direitos da Mulher e da Promoção de Igualdade Racial, o aniversário de um ano da Posse do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher e a entrega de certificados do curso Negras Criativas.

Palestra sobre deficiente visual no MAB de Nova Iguaçu

No dia 27 de setembro às 14hs, o MAB estará realizando uma reunião para pessoas com deficiência visual. O palestrante é Alexandre do Sindicato de Deficiente Visual do Rio de Janeiro.

Quem está online
Nós temos 13 visitantes online
Contador de Acessos
Visualizações de Conteúdo : 120040
Clima Tempo

Empresas de rádio e TV recusam negociar salário digno para jornalistas

Os representantes das empresas de rádio e TV não apresentaram nenhuma solução na última rodada da campanha salarial, realizada na sexta-feira (06/06). Foram mantidas as cláusulas da proposta anterior,consideradas insuficientes pela categoria,que rejeitou em assembléia.